Comitente 1ª VARA CÍVEL DE ARAPONGAS-PR Imprimir Lotes
Classificação Judicial - Venda Direta
Status Encerrado
Local Rua José Leite de Carvalho, nº 74, Jardim Lilian, Londrina/PR
Data Venda Direta: Até 06/10/2018 às 13:30
FAIXA DE PREÇO
COMITENTES
CIDADES
Limpar

LOTE 3.1 - Imóvel c/ 10.001,67m² em Arapongas/PR (Venda Direta )

Fotos lote
Lote Tipo do Bem Valor de Avaliação Lance Inicial - 2ª Praça/Hasta Valor Débito Lance Atual Número de Lances Status Número de visitas
003 INDUSTRIAIS R$ 2.672.517,32 R$ 1.336.258,66 R$ 276.513,00 R$ 0,00 0 Negativo 4380
Descrição do lote
Lote de terras sob número 202/203/202-A-3/A-4/4-1-A, com a área de 10.001,67 metros quadrados, situado na Gleba Patrimônio Arapongas, nesta cidade e Comarca, com as divisas e confrontações constantes da matrícula 18.164 do 2º Serviço de Registro de Imóveis desta Comarca de Arapongas, Estado do Paraná”. Possui uma frente para a Rua Jurutau – Parque Industrial II de 59,23 metros e um fundo de quase 169,00 metros. Referido terreno possui declive suave a moderado em direção à rua, sendo que existem alguns nivelamentos que foram realizados para fins de algumas benfeitorias e pátios. Num primeiro plano (1º nível), bem próximo à Rua Jurutau, existe instalada uma balança rodoviária marca TOLEDO, modelo 820-PM2, ano de fabricação 2000, nº de série 000770365-BB, portaria INMETRO 106/92, em pleno uso, capacidade máxima de 60 toneladas, pesagem mínima 250 Kgs., estrutura de aço e concreto, com componentes eletrônicos para medição de peso através de sistema de computador, piso na região de entrada e saída da mesma de blocos hexagonais de concreto. Em anexo à balança, se vê o escritório da balança, construção de alvenaria com área de 32,00 m2, lajeada, coberta com telhas de concreto (tégula), beiral não forrado, iluminação com lâmpadas fluorescentes, pintura interna e externa de ruim a regular estado, pastilhas de cerâmica na cor vermelha em maior parte das paredes da frente e laterais, piso simples de cerâmica, somente uma porta de madeira de acesso, contendo uma sala maior com uma janela de esquadria de alumínio, de correr, com vidros lisos; outra sala menor sem janelas e um banheiro relativamente amplo, com cerâmica nas paredes até, mais ou menos, 1,60m. de altura, sem chuveiro. Encontra-se em regular estado de conservação. Não há calçada à frente do terreno junto à rua, espaço preenchido por uma fileira de árvores e pela entrada e saída de veículos. Nas laterais e logo acima do escritório da balança se vê fileiras de um tipo de pinheirinho (espécie “tuias”). No 2º plano do terreno (2º nível), acima do escritório, há um tipo de estacionamento aberto para automóveis, formado por 02 caminhos tipo ruas largas com calçamento de paralelepípedos, com canteiro no meio contendo algumas árvores. No 3º plano (3º nível), após uma cerca antiga de alambrado, existe um pátio aberto com piso não cimentado, coberto com pedras, servindo o local de estacionamento para caminhões. No 4º plano (4º nível), o maior e último, se vê a maior parte das benfeitorias, composto por um barracão industrial de alvenaria de construção do ano de 1.993 (segundo informação do representante legal da empresa, o Sr. Domingos Martins), onde funciona uma fábrica de ração, barracão este com pé direito de 5,00 metros, com área de 600,00 metros quadrados (15,00m x 40,00m), estrutura de colunas pré-moldadas de concreto, paredes externas com tijolos à vista laminados deitados, paredes internas rebocadas com pintura de ruim a regular estado, algumas janelas na parte superior para entrada de ar, piso antigo, aparentemente usinado, contudo, já bem desgastado, coberto com telhas de aço galvanizadas não em arco, sem forro, com estruturas de tesouras de aço, formando três partes de telhado duas águas, iluminação com poucas lâmpadas comuns fluorescentes de bastão, não contendo qualquer banheiro em seu interior. A parte do meio do barracão o teto é bem mais alto, ou seja, após as paredes de alvenaria de 5,00 metros de altura, seguem mais em torno de 6,5 metros de parede de estrutura metálica de chapas onduladas (material idêntico às telhas), esta parte ocupando uma área de 300,00 m2 (15,00 x 20,00 metros), portanto, metade do tamanho do barracão. Nas laterais direita e esquerda do barracão há portas não muito amplas de aço de enrolar, não em bom estado, sendo que a do lado esquerdo encontra-se em piores condições, tendo, sobre estas portas, uma cobertura tipo um puxado de telhas metálicas. Há duas portas comuns de aço de acesso ao barracão, uma na parte de trás junto à lateral direita e outra na mesma posição, só que na parte da frente do barracão. No interior do barracão há algumas construções, seguintes: um escritório de alvenaria, lajeado, entrada pelo lado externo ao fundo do barracão, com área em torno 17,20 m2, piso de cerâmica simples, paredes rebocadas, pintura regular, contendo 01 janela maior na parede do fundo para fora e mais 03 menores que dão visão para o interior do barracão, sem banheiro em anexo; na parte de cima do mesmo, com mesma metragem do escritório, só que acesso exclusivo por uma escada simples de alvenaria pelo interior do barracão chega-se a uma sala onde funciona um laboratório, com piso de cimento desempenado e teto com forro de madeira pintada; também no interior há um pequeno cômodo de alvenaria, lajeado, paredes de tijolinhos à vista, três paredes envidraçadas fixas, com área em torno de 4,19 m2 (1,95 x 2,15), local onde se encontram instalados painéis eletrônicos e um computador, os quais, segundo informação, controlam a mistura de componentes de ração entre alguns silos existentes dentro do barracão; ao lado há mais um cômodo no interior do barracão, mais rústico, com área em torno de 16,00 m2, lajeado, sem porta, local onde se armazena alguns produtos químicos. Há um cômodo pequeno adjunto ao barracão, parte do fundo, com área de 19,50 m2, local onde se vê instalada uma máquina trituradora de grande capacidade. O barracão encontra-se em regular estado de conservação, necessitando de melhorias em alguns pontos (barracão antigo). Logo atrás do barracão existe um tipo de garagem coberta, sem portão, vazada, acesso para uma moega no piso, coberta com telhas metálica, duas águas, sem forro, paredes com tijolos à vista laminados por fora e rebocados por dentro, com pintura em ruim estado, piso de cimento rústico, dimensão de 5,00m x 14,5m. (72,50 m2), paredes com 4,00 metros de altura. Encontra-se em regular estado de conservação. Mais ao fundo do terreno, junto à divisa do lado direito há uma construção um tanto rústica e antiga de alvenaria, com área de 60,50 metros quadrados (11,00 x 5,50m), com uma varanda bem estreita de fora a fora, paredes externas com tijolos comuns à vista e rebocadas por dentro, com pintura interna em ruim estado, piso de cerâmica bem simples e desgastado, cobertura com telhas tipo calhetão retas, sem forro, contendo e uma sala para manutenção, um vestiário e um banheiro bem simples pequeno coletivo, sem cerâmica nas paredes. Encontra de ruim a regular estado de conservação. Ao lado desta construção se vê o padrão elétrico do local, com casinha de alvenaria onde se encontram os painéis elétricos e dois postes de concreto pré-moldado onde se encontra instalado um transformador com capacidade de 500 KVAs (segundo informação do funcionário Sr. Vanderlei) e voltagem de 380 volts. Parte do fundo do terreno, em nível mais alto que o restante, há uma porção plantada de eucaliptos, bem desenvolvidos, numa área aproximada de 35,00m x 59,00m. Uma grande parte do piso encontra-se calçado, uma parte com blocos hexagonais de concreto e outra parte com paralelepípedos, sendo na entrada e saída da balança rodoviária, na rampa um tanto longa desde a rua até ao nível onde está instalado o barracão (64,30 de comprimento), no estacionamento de veículos logo acima da casa do escritório da balança e no grande pátio todo ao redor do barracão. Após medição, constatou-se um total aproximado de 1.665,00 m2 de calçamento com blocos de concreto hexagonais e por volta de 1.183,00 m2 calçados com paralelepípedos. Contudo, algumas partes do piso, principalmente na rampa de acesso, feitos com blocos de concreto, há algumas deteriorações, apresentando afundamentos devido à passagem de caminhões e alguns blocos soltos. Nesta rampa, desde a rua até ao último nível do terreno onde se localiza o barracão, não há qualquer portão fechando o local, portanto, acesso completamente aberto. A divisa da frente é toda aberta, eis que possui acesso de caminhões para pesagem na balança, sendo que nas divisas laterais e fundo existe cerca antiga de alambrado com arame trançado, uma parte com cerca viva, todavia, danificada em diversos pontos, inclusive parte caídas, com coluninhas quebradas, tanto na divisa do fundo, da lateral direita e esquerda. Trata-se do imóvel de Nº 2.300 da Rua Jurutau – Parque Industrial II, em frente à sede principal da empresa Frango DM, distante em torno de 3,5 kms. do centro da cidade (Igreja Matriz)
Local para visitação
Referido bem se encontra depositado nas mãos do Depositário Público desta comarca, como fiel depositário, até ulterior deliberação.
Observação
ÔNUS: Av.7/18.164 – Protocolo nº 98.567 – Penhora em favor do credor referente aos presentes autos, conforme matrícula imobiliária do evento 52.1. Eventuais outros constantes da matrícula após a expedição do respectivo edital. Em caso de arrematação de bem imóvel, para expedição da respectiva carta, deverá o arrematante recolher as custas referente à expedição da Carta de Arrematação, bem como comprovar o pagamento do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis – ITBI, para bens móveis, recolhimento da GRC para cumprimento do Mandado de Entrega; é obrigação do arrematante arcar com os tributos cujos fatos geradores ocorrerem após a data da expedição da carta de arrematação. OBSERVAÇÃO: Os bens serão adquiridos livres e desembaraçados de quaisquer ônus, até a data da expedição da respectiva Carta de Arrematação ou Mandado de Entrega – (Artigo 908, parágrafo 1º do CPC e Artigo 130, parágrafo único do CTN). OBSERVAÇÃO 1: Consoante o disposto no artigo 892 do Novo Código de Processo Civil, a arrematação far-se-á mediante o pagamento imediato do preço pelo arrematante, por depósito judicial ou por meio eletrônico. Artigo 895 do Novo Código de Processo Civil: “O interessado em adquirir o bem penhorado em prestações poderá apresentar, por escrito: I – até o início do primeiro leilão, proposta de aquisição do bem por valor não inferior ao da avaliação; II – até o início do segundo leilão, proposta de aquisição do bem por valor que não seja considerado vil”; §1º A proposta conterá, em qualquer hipótese, oferta de pagamento de pelo menos 25% (vinte e cinco por cento) do valor do lance à vista e o restante parcelado em até 30 (trinta) meses, garantido por caução idônea, quando se tratar de móveis, e por hipoteca do próprio bem, quando se tratar de imóveis. §2º As propostas para aquisição em prestações indicarão o prazo, a modalidade, o indexador de correção monetária e as condições de pagamento do saldo. As parcelas serão atualizadas pela média aritmética simples dos índices INPC e IGP-DI – (Decreto nº 1544/1995), a partir da data da arrematação. § 4º No caso de atraso no pagamento de qualquer das prestações, incidirá multa de dez por cento sobre a soma da parcela inadimplida com as parcelas vincendas. § 5º O inadimplemento autoriza o exequente a pedir a resolução da arrematação ou promover, em face do arrematante, a execução do valor devido, devendo ambos os pedidos ser formulados nos autos da execução em que se deu a arrematação. Assinalo, ainda, que a apresentação de proposta escrita de arrematação, mediante prestações não suspende o leilão e somente prevalecerá caso inexistente proposta de pagamento do lance à vista. Inexistindo proposta de pagamento à vista e havendo mais de uma proposta de pagamento parcelado, estas deverão ser submetidas a apreciação deste juízo, sendo que prevalecerá a proposta de maior valor, ou em iguais condições, a formulada em primeiro lugar (art. 895, § 8º, I e II, NCPC). A ordem de entrega do bem móvel ou a carta de arrematação do bem imóvel, com o respectivo mandado de imissão na posse, será expedida somente depois de efetuado o depósito ou prestadas as garantias pelo arrematante, bem como realizado o pagamento da comissão do leiloeiro e das demais despesas da execução (art. 901, § 1º, NCPC). OBSERVAÇÃO 3: Qualquer que seja a modalidade de leilão, assinado o auto pelo juiz, pelo arrematante e pelo leiloeiro, a arrematação será considerada perfeita, acabada e irretratável, ainda, ainda que venham a ser julgados procedentes os embargos do executado ou a ação autônoma de que trata o § 4º deste artigo, assegurada a possibilidade de reparação pelos prejuízos sofridos (artigo 903 do Código de Processo Civil/2015), podendo o arrematante desistir da aquisição apenas nas hipóteses do § 5º do Art. 903 do CPC). O presente edital será publicado no site do leiloeiro www.jeleiloes.com.br, de forma a cumprir o preconizado pelo artigo 887, parágrafo 2º do Novo Código de Processo Civil, o qual estará dispensado à publicação em jornal. COMISSÃO DO LEILOEIRO: será paga pelo arrematante no percentual que estipulo em 5% (cinco por cento) do valor da arrematação; em caso de adjudicação, a comissão será de 2% (dois por cento) sobre o valor da adjudicação, a ser pago pelo interessado; em caso de remição, acordo ou pagamento, será de 2% (dois por cento) sobre o valor do acordo, caso ocorra no prazo de 30 dias antes da data da alienação.
Histórico de lances
Internauta Data Hora Valor do Lance Forma Pagamento IP do Internauta
{{Internauta}} {{Data}} {{Hora}} {{ValorLance}} {{FormaPagamento}} {{IPInternauta}}
Visualizar todos os lances

Todo o material de propaganda não tem validade jurídica, pois se trata de mero material de divulgação, com informações limitadas e resumidas, vale o que consta no edital.